Pequenos detalhes podem fazer uma grande diferença no espaço urbano, valorizando aspectos que passam despercebidos e suscitando #Generocidade. E aqui, em São Luís, um grupo de mulheres tem sido prova disso! O Coletivo Linhas, formado por oito ludovicenses, espalha peças em crochê pelo Centro Histórico, ressignificando de casarões abandonados a trechos de ruas.

O grupo surgiu em julho de 2016, e começou as atividades com a intervenção “Jardim Suspenso”, que tratou do descaso dos prédios abandonados da Praia Grande, onde a natureza toma conta da arquitetura histórica. “Para chamar atenção a isso, instalamos flores e mandalas de crochê num prédio na Rua da Palma”, conta Jéssica Góis, membro do coletivo.

Além dessa intervenção, o grupo fez outros trabalhos que provocam reflexões sobre a cidade, como “Azulejos” e “Cardume de peixe, cardume de gente”, “Mastro do Divino”, “Estupro não é sexo”, “Útero Vive” entre outras. O processo, contam as participantes, rendeu parcerias com a Galeria Trapiche, o Espaço Chão, Sesc, “além de uma rede incrível de pessoas que acreditam na nossa proposta e doaram dinheiro, linhas, agulhas”, comentam.

Para as mulheres do grupo, o impacto das intervenções já começa durante a fase de geração de ideias: “Maturamos com cuidado até que ela [a intervenção] esteja pronta e possa atingir as pessoas da maneira que queremos pra gerar questionamentos, mudanças de hábito em relação à preservação de nossa cidade, ao comportamento entre pessoas etc […] Depois de montada, nos desprendemos da intervenção que fica entregue à cidade para que sofra inúmeras outras intervenções e contatos com e por quem passa”.

E para quem tem vontade de fazer algo que impacte São Luís, as mulheres do Coletivo Linhas dão a deixa:

Se lance! A cidade é nossa, é nosso corpo, nossas interferências que compõem o todo e tudo volta pra nós, querendo ou não. Somos responsáveis pelo corpo da cidade,  pelo nosso corpo. Somos isso aqui! Para começar basta ter a vontade de fazer a mudança! Faça questionamentos a si mesma(o) e naturalmente vai achar sua forma de intervir! Seja por meio da arte, música, ou outro dom que você tenha na sua área. Todo mundo pode e deve contribuir com a sociedade e se você achar pessoas que estejam dispostas, assim como você, tudo flui de uma maneira incrível!

Além das intervenções, o grupo também promove e participa de oficinas e workshops. Para acompanhar o trabalho e a programação das mulheres do coletivo, é só seguir o Instagram @coletivolinhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *